Google+

Notícias

Entrevista: Novas tecnologias aumentam chances de problema na visão

Entrevista Dr. Paulo Ferrara

O excesso de exposição a letras pequenas com pouca ou muita luz pode provocar sérios problemas na visão, segundo o oftalmologista mineiro Paulo Ferrara, um dos mais conceituados profissionais do País. Inventor do Anel de Ferrara, usado no controle do cerotocone - doença que atrofia a córnea - Paulo Ferrara diz que há indícios de que as novas tecnologias estariam aumentando a chance de miopia, inclusive em crianças. Nessa conversa com o Correio, Ferrara fala dos cuidados necessários à conservação de uma boa visão e da necessidade de se visitar com frequência ao oftalmologista para que qualquer problema seja diagnosticado precocemente. Ele também aborda os problemas provocados pelo sol no Nordeste e diz que qualquer cirurgia tem seus riscos, mas algumas são extremamente necessárias como as para catarata, que, quando feitas na hora certa, só trazem benefícios.

- A super carga a que os olhos estão sendo submetidos hoje, especialmente na juventude, não acabará provocando, no futuro, problemas na visão?

- Existem indícios de que essas novas tecnologias e o excesso do uso da visão para perto e, consequentemente, excesso de acomodação, estaria aumentando a chance de desenvolvimento de miopia, inclusive em crianças. Estudos estatísticos mostram que nos dias atuais as pessoas têm mais miopia do que antigamente, no mundo todo. E, junto à miopia, vem o aumento de suas possíveis complicações, como glaucoma descolamento de retina.

- O uso dessas engenhocas tecnológicas, todos com letras muito pequenas e pouca luz não acaba sendo um risco?

- Sim. A leitura de letras muito pequenas acaba por forçar os olhos a acomodar, ou seja, um esforço visual para que o foco da imagem se aproxime e permita a leitura de perto. Além disso, há estudos que indicam que a pouca exposição à luz natural é prejudicial ao desenvolvimento dos olhos. As crianças ficam mais em ambientes fechados devido ao uso das tecnologias, brincam menos ao ar livre e, portanto, tem sido mais expostas à luz artificial do que à luz natural. Esse fato pode interferir no desenvolvimento normal dos olhos

-  Há como corrigir problemas na visão através de exercícios, como vem defendendo uma corrente de oftalmologistas?

- De fato, existem alguns profissionais defendendo a tese de que a estimulação do olho através de movimentos para um lado e para o outro manteria a musculatura do olho ativa e isso poderia postergar problemas de visão como a presbiopia, que é a “vista cansada”. Porém, não se pode supervalorizar tais benefícios, pois eles não tem adequada comprovação científica.

-  Qual o problema mais comum na visão enfrentado pelos brasileiros?

- Os problemas de visão são, em grande parte, universais. Não variam muito de um país para o outro. Os problemas variam desde problemas refracionais (miopia, hipermetropia e astigmatismo) até problemas mais graves como a catarata e o glaucoma, que podem comprometer a visão. A catarata pode gerar cegueira, que tem possibilidade de reversão através de cirurgia e o glaucoma tem controle. Porém, a dificuldade de acesso da população brasileira a certos recursos (atraso no diagnóstico, falta de acesso a colírios e cirurgia) podem piorar esses problemas, mais do que em países desenvolvidos

-  Isso se deve a fatores climáticos, alimentação, exposição ao sol?

- Realmente o sol provoca envelhecimento dos olhos e, em excesso, pode provocar problemas como as degenerações de retina. Assim, os brasileiros precisam pensar em proteções como o uso de óculos escuros. Em relação à alimentação, existem sim algumas vitaminas e oligoelementos que fazem parte do metabolismo do olho, como por exemplo a vitamina A encontrada em alguns vegetais como a cenoura. Assim, países como o Brasil, onde uma parte da população tem acesso limitado a uma alimentação diversificada pode ter mais casos de problemas visuais.

- O que é o ceratocone?

- Ceratocone é uma doença que acomete a córnea, a parte da frente do olho, que assume uma forma cônica. É uma doença rara, acontece numa frequência de cerca de 1 caso para cada 2 mil habitantes. Acomete a visão por gerar uma superfície ocular inadequada para receber os raios de luz e formar uma imagem única e bem focada.

- Quais os sintomas dessa doença?

- O ceratocone pode ter graus diferentes de evolução. No início pode gerar apenas um pouco de miopia e astigmatismo. Com o tempo, a córnea vai ficando mais irregular, os óculos passam a não fornecer uma boa visão, podendo ser necessário o uso de lentes de contato para melhora visual. Porém, nem todas as pessoas conseguem uma boa adaptação à lente de contato. Em casos mais avançados. Pode ser necessário cirurgia. Portanto, o sintoma principal é baixa de visão, cuja correção depende do grau da doença.

- Ceratocone tem cura?

- Existem procedimentos para estabilizar a doença, como o implante do Anel de Ferrara e o crosslinking, que é uma radiação aplicada na córnea. O diagnóstico mais precoce possível beneficia o paciente, uma vez que o tratamento acontece em graus menos avançados  da doença, com resultados excelentes.

- O que é o anel de Ferrara? Qual a importância dele no tratamento do ceratocone? Por que leva esse nome “anel de Ferrara?

- O Anel de Ferrara é um dispositivo implantado na córnea, que é parte anterior do olho, a parte transparente. O anel regulariza a córnea com ceratocone, que é irregular. O Anel de Ferrara, portanto, funciona como um guia para regularizar a superfície corneana, melhorando a visão. O dispositivo leva meu nome porque  desenvolvi estudos sobre o implante corneano de forma experimental na década de 80, já em humanos na década de 90 e a própria comunidade médica passou a chamar o dispositivo de “Anel de Ferrara” por reportar a esses estudos que foram feitos no hospital São Geraldo na década de 90.

-  O Sr. é o criador do anel de Ferrara. Como foi que o Sr. descobriu o anel? Ele é usado somente no Brasil? Está no mercado americano?

- Executei os estudos desse dispositivo, hoje conhecido como Anel de Ferrara. Em 1981, defendi tese de doutorado sobre a utilização de lentes de contato no tratamento do ceratocone, tendo como orientador o Dr. Emir Soares. Essa parceria com o Dr. Emir facilitou muito o desenvolvimento do dispositivo Anel de Ferrara. Devido ao sucesso do Anel, o mesmo passou a ser utilizado em diversos países do mundo. Não está no mercado americano, pois não tem o registro necessário para a venda de dispositivos médicos nos Estados Unidos, o FTA. Porém, na maior parte do mundo, em todos os continentes, o Anel de Ferrara é utilizado.

Dr. Paulo Ferrara no Correio da Paraíba Online

-  Que cuidados o senhor recomenda a quem abusa do sol, especialmente no Nordeste?

- Como já foi dito, a exposição ao sol causa envelhecimento dos olhos. Portanto, é necessária a utilização de óculos escuros com filtro UV, principalmente por quem está exposto a mais radiação solar, como é o caso dos habitantes do Nordeste.

- O que o diabetes significa em ameaça a qualidade da visão?

- O Diabetes, quando não bem controlado, pode causar sérios problemas nos olhos, principalmente na parte de trás dos olhos, conhecida como retina. Pode causar sangramentos no olho, descolamento de retina e até cegueira irreversível. Portanto, o diabetes precisa de diagnóstico precoce e controle adequado, a fim de evitar suas graves consequências no olho e também em outras partes do corpo.

- Quando o transplante de córnea é necessário?

- Especificamente no tratamento do ceratocone, o transplante de córnea vem sendo cada vez menos utilizado, devido à utilização de novas técnicas, como o implante do Anel de Ferrara. O transplante fica reservado a casos muito específicos, como casos muito avançados de ceratocone (diagnosticados muito tarde).

-   Hoje o transplante é uma técnica absolutamente segura?

- Parcialmente. É uma técnica considerada segura, porém, tem muito mais riscos do que o implante do Anel de Ferrara. O transplante tem riscos como infecção, rejeição, descompressão brusca do olho com descolamento de retina. Dessa forma, sempre que possível, deve-se preferir o implante do Anel ao Transplante de córnea

- A que sintomas uma pessoa deve estar atenta para tomar a decisão de procurar um oculista?

- É importante lembrar que mesmo sem nenhum sintoma as pessoas devem procurar um médico oftalmologista com regularidade, pois existem doenças que são muito sérias, mas não dão sintomas no início, como o glaucoma, por exemplo. Por isso, já no primeiro ano de vida a criança deve passar por avaliação oftalmológica. Durante toda a vida as pessoas devem fazer exames regulares, mesmo sem sentir nada. Obviamente, se há algum sintoma como dor, lacrimejamento, baixa de visão, a visita ao oftalmologista deve ser antecipada

- A cirurgia de catarata hoje é uma intervenção comum, muitos tratam até como simples. Quando ela se torna imprescindível?

- A catarata é um problema que todas as pessoas vão ter com o avançar da idade. O cristalino, uma lente natural que temos dentro do olho, vai embaçando e chega a um ponto que a visão fica tão ruim que a cirurgia é necessária. Não se deve operar a catarata muito precocemente porque não há necessidade e toda cirurgia tem seu risco. Porém, não deve ser operada de forma muito tardia, pois dificulta muito a cirurgia. Dessa forma, consulte sempre o oftalmologista para a indicação do tempo correto para se operar.

-  A correção do problema é eficaz?

- Sim. A cirurgia de catarata apresenta excelentes resultados, com rápida recuperação do paciente. É claro, toda cirurgia pode ter intercorrência, porém a cirurgia de catarata é considerada bastante segura.

- Por que há pessoas que deixam de usar óculos e outras continuam usando após a cirurgia de catarata?

- A cirurgia de catarata necessita de alguns exames prévios que vão tentar identificar o melhor grau da lente que será implantada no olho do paciente. Porém, esses exames não são absolutamente precisos, dependem de vários fatores, como características do olho. Porém, com as atuais tecnologias, é cada vez mais preciso o cálculo dessa lente. A maioria dos pacientes fica sem óculos para atividades diárias, ou precisa de óculos apenas para ler letras muito pequenas.

-  Há algum estudo já publicado sobre o uso de células-tronco para recuperação da visão?

- Sim. Existem vários estudos sendo feitos sobre células tronco para todos as partes do nosso corpo, inclusive na recuperação da retina. É um trabalho lento, difícil, mas acredita-se que no futuro teremos ótimos resultados com esse tipo de tratamento.

-  A visão é, provavelmente, o sentido mais importante do homem. Por que, para tratá-la se permite até a venda de óculos de graus nas esquinas?

- Esse é um problema em alguns países, como o Brasil. A fiscalização é bastante falha, o que propicia atividades ilícitas, como a venda de óculos sem prescrição médica. A mercadoria pode ser de baixa qualidade, grau diferente do que o paciente necessita, podendo causar mais dano do que beneficio aos pacientes

-  Que tipo de problema o uso de óculos sem indicação médica pode trazer?

- Existem vários problemas. Óculos com grau diferente do que o que a pessoa necessita podem gerar dor de cabeça, piora do problema de visão, desconforto visuais, dentre outros.

- O cuidado com o uso de óculos escuros também deve obedecer aos mesmos parâmetros?

- No caso particular dos óculos escuros, o uso de material de baixa qualidade pode ser muito prejudicial. Quando usamos óculos escuros, a pupila (“menina do olho”) abre, permitindo a passagem de mais luz para dentro dos olhos. Se os óculos não têm filtro UV, a parte danosa da luz chega à retina, podendo provocar graves danos aos olhos.

- Estamos chegando a uma época do ano em que aparecem surtos de conjuntivite. O que o senhor recomenda como prevenção?

- Para se evitar contrair conjuntivite o cuidado mais importante é lavar as mãos. Os agentes que provocam a conjuntivite não são transmitidos pelo ar. Passam de uma pessoa para a outra através das mãos contaminadas. A pessoa com conjuntivite coça os olhos e contamina tudo o que tocar com as mãos sujas. Dessa forma, pode passar a doença a outras pessoas. Importante lavar as mãos sempre e não levar a mão aos olhos

- O que ocorre no organismo humano que geralmente aos 40 anos precisamos de óculos?

- O que acontece é o aparecimento de um problema chamado presbiopia, ou “vista cansada”. O cristalino, que a lente que temos dentro do olho, necessita mudar a sua forma para conseguirmos focalizar os objetos de perto. Após os 40 anos, o cristalino já possui uma rigidez mais aumentada e já não consegue mais ter essa capacidade elástica de mudar a sua forma para fiscalizar as imagens com nitidez. Dessa forma, para trazer o foco para a perto, a pessoa necessita de óculos para leitura.

- O senhor recomenda cirurgia para corrigir deficiências como a miopia?

- A indicação de uma cirurgia refrativa, como a que corrige a miopia, hipermetropia e astigmatismo depende principalmente das características do olho, o que envolve o grau, a regularidade da superfície da córnea e a espessura da córnea, dentre outros. Portanto, a recomendação ou não da cirurgia depende de cada paciente e essa indicação deve ser feita pelo oftalmologista de forma individualizada.

Fonte: Correio da Paraíba 

Veja Também: