Serviços

Retinopatia Diabética

As alterações retinianas causadas pelo diabetes são chamadas retinopatia diabética. Níveis elevados de glicose no sangue lesam estruturas microscópicas dos vasos sanguíneos da retina. Por ser a retina responsável pela captação da luz que entra no olho, alterações retinianas comprometem enormemente a visão.

Pacientes em estágios iniciais da retinopatia diabética podem não apresentar sintomas visuais. Somente o exame de fundo de olho pode detectar se há alguma alteraçãoantes mesmo que os sintomas apareçam. Quanto mais cedo forem tratadas as alterações, maiores serão as chances de preservar a visão.

Existem dois tipos de Retinopatia Diabética:

Não proliferativa

A Retinopatia Diabética Não Proliferativa é a forma inicial da doença. É detectada quando os vasos sanguineos do fundo do olho estão danificados. As alterações nas paredes dos vasos levam ao seu enfraquecimento com formação de microaneurismas, que causam hemorragia, vazamento de líquido e infiltração de gordura na retina. Quando essas alterações ocorrem na região da mácula (responsável pela visão central), leva ao chamado Edema de Mácula Diabético.

Proliferativa


A Retinopatia Diabética Proliferativa apresenta grande risco de perda de visão. Ela aparece quando os vasos da retinasofrem oclusão e isquemia, impedindo o fluxo sanguíneo adequado para aquela região. Por consequência há formação de vasos anormais que causam o sangramento e freqüentemente são acompanhados de tecido cicatricial, cuja contração pode levar ao descolamento da retina.

Como complicações podem ocorrer:

Hemorragia Vítrea: os vasos anormais sangram e causam turvação visual;
Descolamento da Retina: há formação de cicatrizes no vítreo, que tracionam a retina e evoluem para odescolamento da retina;
Glaucoma Neovascular: os vasos anormais crescem em direção ao ângulo camerular - local de drenagem do líquido produzido no olho - provocando obstrução da drenagem. Em conseqüência, a pressão intra-ocular pode aumentar. Esta é uma forma grave de glaucoma, que pode resultar em perda da visão.

Quais os sintomas da retinopatia diabética?

As pessoas portadoras de diabetes devem realizar exame oftalmológico com avaliação do fundo do olho pelo menos uma vez ao ano. Uma vez detectada a retinopatia diabética, exames mais freqüentes são necessários, conforme orientação do oftalmologista.

Os sintomas (nos estágios moderado a avançado) são:

  • Manchas na visão;
  • Visão embaçada;
  • Perda da visão central ou periférica;
  • Distorção na visão.

Tratamentos

A prevenção da retinopatia diabética consiste nocontroledo diabetes, que é feito, geralmente, através de alimentação adequada, exercício físico e uso de medicamentos prescritos pelo médico, quando necessário.

A retinopatia diabética inicial muitas vezes pode apenas ser acompanhada com exames de fundo de olho periódicos e controle glicêmico, sem necessidade de intervenção.

Quando indicado, os tratamentos são:

Fotocoagulação: é a aplicação de laser. O laser ajuda na estabilização da Retinopatia diabética e Maculopatia Diabética.

Dependendo da severidade da retinopatia, várias sessões de laser podem ser necessárias.

Anti-angiogênicos e corticóides

Os anti-angiogênicos são medicamentos que inibem a proliferação de neovasos, atuando também sobre a permeablidade capilar. Utilizados para tratamento do edema macular e da neovascularização retiniana que ocorre na retinopatia diabética, estes medicamentos são injetados dentro do olho e podem ser repetidos se necessário. Podem ser indicados para o Edema de Mácula Diabético, Hemorragia Vítrea e preparo para Cirurgias de Vitrectomia nos casos de Descolamento Tradicional daRetina;

Os corticóides para aplicação intra-vítrea são utilizados para tratar o edema macular. Além da triancinolona, o implante de dexametasona (Ozurdex), injetado no vítreo, libera o corticóide continuamente, por um período de 4 a 6 meses.

Cirurgia de Vitrectomia:

Em casos avançados e severos de retinopatia diabética, a cirurgia de vitrectomia pode estar indicada. Na vitrectomia, o vítreo é removido.