O Implante de Anel de Ferrara™ retarda ou elimina a necessidade de transplante da córnea.

O Anel de Ferrara™, é uma técnica ortopédica que corrige a curvatura corneana alterada pelo CERATOCONE e devolve a qualidade de vida ao paciente através do fortalecimento da córnea, diminuindo a miopia e o astigmatismo, melhorando o conforto e a visão.

Não apresenta rejeição e é uma cirurgia rápida e indolor, permitindo assim uma recuperação rápida e a volta do paciente ás atividades normais em pouco tempo.

O ANEL DE FERRARA™ foi inventado pelo Dr. Paulo Ferrara, sua patente foi depositada em 1987 e expedida em 1993, carta patente nº PI 8705060. Entre 1987 e 1993 as pesquisas se desenvolveram.

  • Em 1991 o primeiro paciente foi implantado com um segmento de 360º
  • Em 1994 o Dr. Paulo Ferrara , criou os instrumentais cirúrgicos e a técnica de tunelização para implante do Anel de Ferrara™, carta patente PI 9305251
  • Em 1996 os segmentos passaram a ser utilizados para o tratamento de paciente portador de Ceratocone.
  • Em 1998 foi realizado o I curso de implantes de segmentos intra corneanos para a correção do Ceratocone.
  • Os primeiros instrumentais foram produzidos por joalheiros, em ouro, e atualmente estão expostos no Museu da Oftalmologia na Sociedade Brasileira de Oftalmologia, SBO.

Desde 1996 o Anel de Ferrara™ vem sendo utilizado para correção do ceratocone.

Seu nomograma ou, forma de utilização, vem sendo constantemente atualizado, hoje se encontra na quinta geração e leva em conta a asfericidade, a ceratometria, o astigmatismo e o padrão do mapa de elevação posterior no exame de tomografia corneana do paciente. (Pentcam, Galilei ou Orbscam)

Estes parâmetros, junto à experiência do médico oftalmologista, auxiliam na definição da posição, profundidade, número de segmentos, tamanho de arco e espessura para cada caso.

Em 1998 o Dr. Paulo Ferrara realizou, em Belo Horizonte, o primeiro curso de implantes de segmentos intra corneanos (ICRS) para correção do ceratocone, atualmente este procedimento é realizado em 87 países e estima-se que mais de 600 mil olhos já tenham sido operados.

Perguntas Frequentes

95% dos pacientes que se submetem ao Implante de Anel de Ferrara não necessitam fazer o transplante de córnea.

Em alguns casos faz-se necessária a adaptação de lentes esclerais. Na maioria dos casos os óculos ou lentes gelatinosas são suficientes.

Não. A técnica cirúrgica, quando aplicada corretamente é sempre benéfica para a córnea.

Complicações relacionadas a técnica cirúrgica como superficialidade do implante podem resultar em extrusão espontânea do Anel. O mal posicionamento dos segmentos pode gerar astigmatismo mas é raramente observado. Complicações relacionadas aos cuidados no pós operatório podem ocorrer quando o paciente coça os olhos podendo haver movimentação do segmento, extrusão espontânea ou infecção.

Em geral, todas as complicações são reversíveis com a retirada ou reposicionamento dos segmentos de Anel de Ferrara.

Raramente acontecem complicações na cirurgia. O índice de remoção de segmentos é menor que 4% após o procedimento. Infecções apresentam complicações mais sérias e podem resultar na necessidade do transplante de córnea. Felizmente infecções foram observadas em menos de 0,08% dos casos.

O transplante de córnea requer um grande período de recuperação, próximo a 12 meses. Este transplante também corre risco de rejeição e não impede que o ceratocone volte a aparecer. Na maioria das vezes o uso de óculos ou lentes de contato se faz necessário e o paciente ainda pode estar sujeito ao Implante de Anel de Ferrara para a correção de alto grau de astigmatismo irregular que pode surgir por uma má recuperação do transplante.

• Rápida recuperação do paciente;
• Compatibilidade do material do Anel e o tecido da córnea ;
• Se houver necessidade de lentes de contato a adaptação é fácil;
• Reversibilidade;
• O Implante de Anel de Ferrara retarda ou cessa a evolução da doença por um período de tempo indeterminado

O taxa de sucesso depende do quão severo é o grau de ceratocone. Quanto antes a cirurgia é realizada maiores as chances de sucesso. Em casos iniciais a taxa de sucesso é superior a 95% dos casos.

O Implante de Anel de Ferrara aplana e regulariza a superfície da córnea portanto corrige deformidades como miopia e astigmatismo. O Anel de Ferrara também pode ser usado como técnica complementar ao laser ou lentes fácicas para a correção de altas miopias.

A recuperação da visão é rápida. No dia seguinte a cirurgia a visão já apresenta melhora e se estabiliza após três meses. Neste Período flutuações na qualidade da visão podem acontecer. Pela manhã a visão pode estar boa mas no decorrer do dia pode apresentar maior desfoque. A prescrição de óculos ou lente de contato pode ser necessária para se completar a correção. Enquanto isso, a visão pode ficar boa ou levemente desfocada.

Quase não há riscos na cirurgia de Implante de Anel de Ferrara. Como em qualquer cirurgia infecções podem acontecer. Nestes casos o segmento de Anel de Ferrara deve ser removido. As complicações são mínimas e, o mais importante, reversíveis. Isto significa que o segmento pode ser removido e a córnea recupera sua forma original. Não há risco de rejeição da órtese.

O procedimento cirúrgico e realizado sob cuidado ambulatorial e de assepsia completo. A anestesia é local feita com aplicação de colírios. A assepsia inclui a região dos olhos nariz e pálpebra. Após a cirurgia utiliza-se uma lente curativa ou gaze que previne o contato com agentes infecciosos. O procedimento é totalmente indolor e realizado em aproximadamente 10 minutos. O uso de colírios antibióticos e anti inflamatórios permite um período pós operatório mais seguro e confortável. No dia seguinte o paciente pode retomar suas atividades intelectuais.

Não. O objetivo principal da cirurgia de implante de Anel de Ferrara é a reabilitação visual. O Implante de Anel de Ferrara pode retardar a evolução da doença evitando a necessidade de transplante de córnea por tempo indeterminado.

A maioria de paciente não tem reclamações quanto a visão noturna. Lentes corretivas podem ser necessárias após o implante de Anel de Ferrara para correção de ametropias residuais.

Saiba mais sobre o CERATOCONE